Médicos de Família são muitas vezes os primeiros a detectar sinais de algum problema de saúde em seus pacientes, dado o contato que mantém com os mesmos ao longo do tempo, sendo muitas vezes capazes de perceber sinais sutis que passariam despercebidos a outro médico que não mantenha um acompanhamento continuado deste paciente.

O Médico de Família se notabiliza por ter uma visão global do paciente não se atendo a um órgão, sistema ou problema específico. Com isto é possível fornecer um cuidado de saúde integral ao paciente. Mesmo quando o paciente necessita de cuidados de outros especialistas o Médico de Família continua acompanhando o paciente e faz o gerenciamento destes cuidados, para evitar, por exemplo, interações medicamentosas danosas.

Como o Médico de Família compromete-se com a pessoa e não com um conjunto de conhecimentos ou grupo de doenças este profissional está disponível para qualquer problema de saúde em qualquer pessoa de qualquer idade ou sexo, sem se ater a um problema de saúde específico. Este compromisso não tem prazo, não termina com a cura da doença, o fim do tratamento ou a incurabilidade da doença. O compromisso é assumido com a pessoa que o procura.

O Médico de Família procura entender o contexto da doença. Muitas das doenças não podem ser entendidas se não forem vistas no seu contexto pessoal, familiar e social. A importância do contexto pode ser comparada à peça de um quebra-cabeça que só tem significado quando encaixada no seu lugar adequado. Quando o doente é visto fora deste contexto muitas informações perdem o sentido ou apenas confundem o diagnóstico.

O Médico de Família vê todo o contato com os seus doentes como uma oportunidade para a educação em saúde e prevenção. Por exemplo, o paciente vem para uma consulta por “dor nas costas” e uma vez detectado neste paciente o hábito de fumar (tabagismo) este é aconselhado a cessar o tabagismo e muitas vezes já, diante da oportunidade e desejo do paciente, pode-se iniciar nesta mesma consulta um tratamento/acompanhamento visando à cessação do tabagismo.

Este médico vê os seus doentes no consultório, nos seus domicílios e até mesmo no hospital, adequando seu cuidado ao contexto em que o paciente está inserido.

Dr. José Luís Verbiski – CRM-PR 27103 RQE 20778
Especialista em Medicina da Família e Comunidade
Clínico Geral